Pesquise no Mida do Futuro

22 janeiro 2010

90% das corporações proíbem o acesso às redes sociais


Cerca de 90% dos conselhos administrativos proíbem o acesso a redes sociais no ambiente de trabalho. A constatação faz parte dos resultados de estudo global realizado pela Socitm (do inglês, Sociedade de Gestão da Tecnologia da Informação) – órgão sediado na Inglaterra e que promove o gerenciamento eficiente da TI – com o apoio da consultoria Gartner.
Nesse contexto, o coautor da pesquisa Christopher Head defende que é papel dos CIOs educar os demais executivos das empresas sobre os benefícios das redes sociais e mostrar que há maneiras de acessá-las de forma segura. “Para convencer os membros do conselho, o gestor de TI precisa mostrar como as políticas de segurança funcionam e quais são os benefícios práticos que podem ser atingidos por meio da liberação ao acesso a tais sites”, diz ele.
Pelo levantamento, 67% dos conselhos administrativos baniram completamente o acesso às redes sociais do ambiente de trabalho por meio do bloqueio das páginas dos principais sites. Os 23% restantes permitem que os colaboradores acessem seus perfis na web apenas em horário de almoço ou fora das horas de trabalho.
No que tange aos motivos pelos quais as companhias não liberam o acesso aos sites como LinkedIn, Facebook, Twitter, 64% dos respondentes afirmaram que temem pela exposição a vírus e outras ameaças as quais os computadores das empresas estarão sujeitos nas redes sociais.
Além disso, 63% dos entrevistados informaram que acessar essas páginas representa uma perda de tempo para os funcionários. Riscos relacionados à reputação das companhias e ao vazamento de dados confidenciais também foram apontados pelos participantes do estudo como barreiras à liberação das redes sociais.

A TI deve educar os demais executivos sobre os benefícios da Web 2.0 e esclarecer que, com políticas estruturadas de proteção, é possível acessar as novas mídias virtuais de forma segura

Computerworld Reino Unido

11 janeiro 2010

Mais interatividade, menos reuniões


2010 será um ano maravilhoso, de muito sucesso para todos antenados nas novas tendências da mídia social. Sua evolução é constante. A revista Você S/A de janeiro de 2010 traz uma matéria super interessante. Confiram!!!




Diante de cenário mais difícil no ano passado, os profissionais tiveram de rever seu comportamento no trabalho e propor novas formas de lidar com antigos e recentes desafios. Como efeito, algumas competências ganharam relevância. Por exemplo, a habilidade de comunicar bem. É o que afirmam 40 presidentes de grandes empresas no Brasil, ouvidos no fim de 2009 pela Passareli Consultores. Este ano, as empresas devem ir além dos treinamentos em comunicação e investir em redes sociais corporativas, uma espécies de Twitter privado. Os entendidos no assunto garantem que as redes promovem maior interatividade e aumentam o nível de satisfação no escritório. A IBM, que já usa o artifício, aprova o recurso. Há quem veja as redes sociais corporativas com ressalvas, alegando perda de produtividade. Difícil, no entanto, imaginar algo mais improdutivo do que as longas reuniões de equipe,tão comuns nas empresas.