Pesquise no Mida do Futuro

26 abril 2010

Você é viciado em Mídia Social?

Semana passada li um estudo muito interessante sobre vício em Mídia Social no site Retrevo.com. Confesso que fiquei impressionado com os numeros, principalmente de viciados em Facebook e Twitter. No entanto, tenho que concordar, reparando em pessoas atualizando e navegando por estes sites via seus smartphones no shopping, no trabalho, nos aeroportos, voce começa a entender melhor estes números.
O estudo foi feito com 1.000 usuários de mídia social fazendo perguntas como quando, onde e quanto tempo eles usavam em sites como o Facebook e o Twitter. Vejam alguns dos resultados.

Ontem a noite e a primeira coisa pela manhã
Quase metade dos entrevistados disseram que checam seus perfis sociais na cama, durante a madrugada ou logo quando acordam pela manhã. Como voce esperaria, mais usuários jovens disseram que usam o twitter de madrugada comparado a usuários com mais de 25 anos. 
Twitter como nova fonte de notícias
Enquanto que quase 50% dos usuários de mídia social checam logo quando acordam Facebook e Twitter, 16% dos usuários disseram que usam estes sites como fonte matinal de notícias.
Vai ser bem interessante analisar como estes números irão crescer nos próximos dois anos e verificar o impacto deste comportamento em portais como UOL, Yahoo News e Google News, assim como canais de mídia tradicionais, como TV e Jornais.

Vício em Facebook
O crescimento contínuo do Facebook tem sido fenomenal e uma das razões do seu sucesso contínuo é baseado no vício de seus usuários. 56% dos usuários de mídia social precisam checar seu Facebook pelo menos uma vez ao dia e inacreditávelmente 12% dizem que precisam checar a cada duas horas.

Interrupções causadas pela Mídia Social
Como parte do estudo, usuários foram perguntados como se sentiam sendo interrompidos por várias vezes e em várias ocasiões por uma mensagem eletrônica. Com todo mundo enviando mensagens de texto através de seus telefones, não é surpresa que 40% dos entrevistados disseram que não se importavam pelas interrupções. De fato, 32% disseram que durante refeições não estavam passando dos limites enquanto 7% disseram que não checam a mensagem durante momentos intimos.
Resumo
Pelo estudo se deixa muito claro que existe um número significativo de pessoas que são viciados em sites de  mídia social como Facebook e Twitter, principalmente Facebook. Também está na cara que usuários esperam que empresas tenham páginas no Facebook assim como uma conta no Twitter, além de seu website tradicional. Eles esperam que marcas e empresas estejam visíveis em qualquer lugar que eles estejam online.

17 abril 2010

Games viram ferramentas de ginástica e terapia no Brasil

Quem já jogou Wiifit sabe que a brincadeira trabalha o corpo todo. Além de ser divertido, é uma ótima maneira de se exercitar. Para reforçar a idéia, veja a matéria da Uol.

Para muitos, videogames ainda são associados a uma diversão de pessoas sedentárias. A realidade, porém, é diferente e hoje em dia os jogos eletrônicos são usados como ferramentas de ginástica e terapia, incluindo aqui no Brasil onde já há até empresas dedicadas exclusivamente a produzir títulos focados na área de saúde.
Desde outubro de 2008 a clínica de Fisioterapia da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) adotou o Wii como ferramenta em terapias de reabilitação. A ideia veio do professor Fábio Navarro Cyrillo, que por sua vez se inspirou na Universidade McGill, do Canadá, que também usa o videogame como instrumento terapêutico.




Jogos como terapia

Enquanto vemos instituições adotando games como instrumentos de trabalho, há também no país aqueles que se dedicam a criar este tipo de jogo. Uma destas empresas é a FisioGames, fundada em julho de 2009 em Florianópolis. "Acreditávamos que poderíamos produzir jogos que não apenas divertissem mas que também promovessem o bem-estar humano, combinando entretenimento, educação e saúde", explica Daniel San Martin, diretor e produtor do estúdio. "Logo após ser criada, a empresa foi incubada no Pólo Santa Catarina Games e hoje integra a vertical da saúde da ACATE, grupo que congrega as principais empresas de tecnologias para saúde de Santa Catarina", conta ele.O primeiro e principal título da produtora é o "Funphysio", software para a área de fisioterapia que utiliza um joystick com sensor de movimento como controle e ajuda na recuperação de membros superiores. O game foi desenvolvido em quatro meses e teve apoio de Juliana Barcelos de Souza, Phd. em Fisioterapia.
No exterior, uma das iniciativas recentes que mais chama a atenção é o "Didget", para Nintendo DS, produzido pela Bayer - isso mesmo, a fabricante de remédios. Trata-se de um cartucho acompanhado de um acessório que é um medidor de glicose para portadores de diabetes. O periférico se encaixa na entrada de cartuchos de Game Boy Advance e atua em conjunto com o game, premiando o jogador com pontos extras conforme ele realiza os testes de glicose nos horários indicados.
Indicado para crianças, o "Didget" foi lançado em 2009 na Europa pelo preço sugerido de US$ 75 dólares e chega em maio aos Estados Unidos. No site oficial é possível ver uma demonstração do aparelho, permitindo inclusive escolher entre três versões distintas: para crianças, profissionais da área de saúde e pais de crianças com diabetes.
Fábio explica que "o console é utilizado como um recurso adicional ao programa de reabilitação, por exigir que os jogadores executem movimentos que ajudam a reconquistar o equilíbrio, coordenação, resistência e força muscular, além de estimular a atividade cerebral e aumentar a capacidade de concentração".

O principal game utilizado nos tratamento é o "Wii Fit", título da Nintendo que visa exatamente a ajudar o usuário a se manter em forma.
Além da UNICID, o Instituto de Reabilitação Lucy Montoro, também em São Paulo, e o Hospital Vita, em Curitiba, também são exemplos de clínicas no Brasil que utilizam videogames como formas de ajudar pacientes a recuperarem de problemas de saúde.

Google apresenta projeto de impressão que quer dispensar drivers de impressora

A matéria da Uol conta que o Google revelou os detalhes iniciais de um projeto que quer permitir que os usuários do sistema operacional da empresa, o Chrome OS, dispensem os drivers de impressora e possam imprimir seus documentos "em qualquer impressora e a partir de qualquer programa em qualquer dispositivo", segundo um post no blog oficial da empresa.
"O Google Cloud Print [nome dado ao projeto] será responsável por mandar os arquivos a serem impressos a impressora apropriada com as opções selecionadas pelo usuário", diz o post.
Em um esquema simples, a empresa mostrou que os arquivos serão enviadospor meio de um sistema de computação em nuvem.
Foram revelados estágios iniciais de código de software, documentação e design, mas o Google deixou claro que o projeto ainda está em fase de desenvolvimento.

11 abril 2010

Twitter se prepara para lançar novo design

Gente em breve o Twitter estará de cara nova!! Segue a matéria publicada pela redação da Uol.

Depois de alterar a página inicial do serviço, o Twitter pode estar preparando outra grande mudança no design interno.
De acordo com o site icodom, Doug Bowman, diretor de Criação do Twitter, publicou o que pode ser uma nova página para usuários do microblog. Segundo um comentário do próprio Bowman, "o design ainda não é final e é apenas o que pode ser mostrado, sem entregar todo ouro".
O novo design irá mostrar mais estatísticas, que incluem o número de dias desde quando o usuário entrou no Twitter e quantos tweets você posta por dia, além do que parece ser um menu horizontal, com opções como Retweets.





De cara nova

Com as mudanças feitas no final de março, o Twitter ganhou uma página inicial com sugestões de perfis de usuários a seguir, além de novas mensagens publicadas por usuários em destaque, que são atualizadas constantemente.

O login, que antes direcionava o usuário para uma nova página, agora pode ser feito sem deixar a home do microblog.
As alterações fazem parte, segundo a empresa, de uma série de mudanças iniciadas em 2009. Naquela época, foram lançados o serviço de busca dentro do Twitter e uma melhora visual dos trending topics (os assuntos mais comentados na rede social).
No blog do Twitter, o novo design foi descrito como uma tentativa de "mostrar intencionalmente mais conteúdo dinâmico na página inicial, revelando uma amostra de quem está aqui, sobre o que as pessoas estão tuítando e quais são os tópicos que estão discutindo".

05 abril 2010

Como o Google quer mudar o setor de telecomunicações

Empresa diz que não quer ser provedor de internet nem fabricar celulares. Mas faz isso e muito mais - tudo em nome de uma estratégia maior.
O Google afirma que não quer ser provedor de internet. Na verdade, ele quer fazer com que seu provedor atual se comporte mais como... O próprio Google.
É por isso que, nos últimos anos, a gigante das buscas na web tem usado sua força financeira e de marca para fazer incursões regulares pela indústria de telecomunicações.
Quando faz lobby por uma legislação de neutralidade na rede, desenvolve seu próprio celular e sistema operacional e cria uma rede de banda larga experimental de alta velocidade, o Google mostra que não dá espaço à timidez quando quer jogar seu peso sobre as operadoras.








E o que o Google quer com isso? Essencialmente, ele quer dizer que as operadoras devem controlar menos o que elas podem ou não fazer com suas redes. Um dos objetivos da plataforma Android, por exemplo, é fazer com que as operadoras sejam menos restritivas a aplicativos e conteúdos que podem ou não funcionar em suas redes sem fio.
Ao mesmo tempo, a neutralidade na rede impediria que operadoras dessem prioridade a seus próprios conteúdos, em relação aos conteúdos de provedores rivais e de outras empresas da internet.
Conheça as três principais iniciativas do Google em telecomunicações, seus objetivos e o nível de sucesso que cada uma atingiu.


Por Brad Reed, da Network World/EUA no site da UOL.